Lock | Área restrita

Topo


Crack - Evolução Consumo

18/04/2014

MEADOS DOS ANOS 90 

“A busca por sensação de prazer”

No final da década de 90 o consumo era estimulado por:

Compulsão; Dependência; Forma de lidar com problemas familiares; Frustrações;

O pensamento do usuário se reduzia ao consumo do crack, em detrimento do sono, da comida, do afeto e do senso de responsabilidade (Fonte: Solange Nappo – pesquisadora do CEBRID)

O Crack prejudica a saúde, destrói famílias e cria marginais. A quantidade de usuários de crack no Brasil atualmente tornou-se um problema social, pois a quantidade de moradores de rua, de homicídios, roubos e outros delitos em grande parte acontecem por quem tem ligação com a droga.

Mas você já parou para pensar como ela surgiu ou chegou até o Brasil?

Os primeiros registros da utilização do crack são da década de 80, nos Estados Unidos, mais precisamente na periferia de Nova York, Los Angeles e Miami. A droga chegou ao Brasil na década de 1990, quando policiais encontraram em São Paulo pessoas utilizando a substância. Os primeiros viciados apareceram no centro da cidade, local que mais tarde ficou conhecido como cracolândia.

O que chamou a atenção no início foi a sensação de euforia intensa nos usuários, o que despertou a curiosidade de muitas pessoas para provarem a droga. Contudo, nessa época ninguém sabia da rápida dependência que o crack causava. Seu efeito devastador começou a ser percebido no fim da década de 90, quando já existiam vários dependentes que precisavam urgente de tratamento – mas não existia nenhum estudo ou pouco se sabia na época como livrar as pessoas do consumo de crack.

Composição

O crack nada mais é do que a cocaína solidificada, por isso, popularmente também é chamada de pedra. Para chegar ao crack, mistura-se a cocaína com bicarbonato de sódio e água. O nome crack veio pelo barulho que a pedra faz ao ser fumado.

Atualmente esta é a droga que vicia com mais rapidez e o tratamento para limpar um usuário é caro e demorado.

Perfil

Pesquisas mostram que a maior parte dos usuários são do sexo masculino, jovens, com baixa escolaridade, com famílias desfuncionais e de baixa renda. Contudo, há usuários em todas as classes sociais, até doutores, vindos de boas famílias. Muita gente famosa acabou destruindo a carreira e a própria vida com o uso do crack, como Amy Winehouse, Kurt Cobain, Chorão e etc. Ainda de acordo com a pesquisa, a porta de entrada para o crack é o consumo de álcool, tabaco e maconha. 

Efeitos

Ao estar sob efeito do crack, o usuário sentirá muita euforia e poder, o cérebro fica em estado de excitação e hiperatividade. As pupilas ficam dilatadas e a temperatura corporal sobe. Horas depois do uso, a pessoa tem insônia, falta de apetite, extremo cansaço e fissura para consumir novamente a droga.

Por isso, o usuário chega ao ponto de abandonar hábitos diários como dormir, comer, tomar banho ou trocar de roupa por pensar apenas em consumir novamente o crack. Assim, usuários chegam ao ponto de gastar tudo o que têm vender móveis e pertences pessoais para satisfazer o vício. A conseqüência disso é a família abandonar o usuário ou tirá-lo de casa com medo de que furte os pertences pessoais da própria família e da agressividade que a pessoa começa a apresentar. O usuário vai morar na rua sem se importar com isso, quer apenas consumir cada vez mais a droga, segundo afirmação de alguns usuários o prazer do uso da droga não esta na pedra que esta usando no momento e sim na próxima que vai usar, desta forma eles passam a viver em função do uso, nem que tenha que roubar ou pedir dinheiro.

Essas são algumas informações básicas sobre o Crack, se desejar mais informações entre em contato conosco.

Pr. Carlos Roberto Pereira da Silva

Diretor Executivo do Desafio Jovem de Rio Claro

Doe
Sucata
Artigos